SEARCH

01 agosto, 2018

Ligação Ferroviária a Paços de Ferreira - Possíveis traçados, estações e viabilidade

A Associação Comboios XXI, a pedido da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, realizou há cerca de um ano um estudo sobre a ligação do concelho de Paços de Ferreira à rede ferroviária nacional. Paços de Ferreira é um concelho relevantíssimo no norte litoral e nunca teve ligação ferroviária. Acreditando nós que o caminho de ferro é o transporte do futuro, aceitámos o convite da Câmara para realizar o estudo, que foi conduzido por Hugo Leandro.

Aqui fica a ligação (https://mega.nz/#!PIZUnaDK!10lZGiefdl9kAbf1tHPUlkcmaVVpTa6mKmI7-gIsinU).


13 julho, 2018

Linha do Minho: e depois da eletrificação?

No próximo dia 27 de julho (sexta-feira) a Associação Comboios XXI organiza, juntamente com a Câmara Municipal de Barcelos, a sessão de informação "Linha do Minho: e depois da eletrificação?". A sessão terá lugar no Auditório Municipal de Barcelos. Começa às 17h30 e tem entrada livre. Contaremos com Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, para além de Miguel Costa Gomes, Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, e representantes da IP, da Mota-Engil e da CP. Aqui fica o programa:





08 junho, 2018

Antena Aberta - Greve dos Ferroviários

No dia 4 de junho, Nuno Gomes Lopes, vicepresidente da Associação Comboios do Século XXI, falou sobre a greve dos ferroviários e sobre vários problemas da ferrovia nacional:

20 dezembro, 2017

Dia 20-12-2017

V.N. Famalicão 
Cena 1: 

O comboio suburbano vindo de Braga chegou a Famalicão às 10h02, conforme o horário, com a indicação «Aveiro». Entrou ao contrário do habitual na linha 3. O comboio estava completamente cheio e assim se manteve até Porto São Bento, enchendo ainda mais à medida que segui viagem. 

Seguiu sem qualquer informação áudio ou visual. 

Estava muita gente em pé e nem havia sinal do revisor. 

À hora marcada, 10h45 o comboio chegou a São Bento. 

Cena 2 (cont.):

O comboio que sai de Braga às 9h34, passou em Famalicão às 10h02, com indicação «Aveiro» e chegou a São Bento às 10h45, conforme o horário. 

Questionei delicadamente em São Bento o maquinista por que razão o comboio seguia com a indicação «Aveiro», tendo o próprio respondido, com espanto: “Aveiro?!”. 

Confirmei a informação e o revisor retorquiu “Se o Senhor o diz…”. 

No entanto, foi verificar e, lendo “Aveiro”, pediu-me desculpa. O maquinista não sabia que o comboio estava a circular com a indicação «Aveiro». 

“A culpa não é nossa”, disse. 

“Vá ao Gabinete do Utente, na Estação de São Bento, e explique o que se passa. Nós até agradecemos.” Fui ao Gabinete do Utente e vi um funcionário sentado a olhar para mim. Contei-lhe a história e o conselho do maquinista e o mesmo funcionário respondeu-me “Tem de escrever a reclamação aqui ou fazê-la na net”. Respondi que não tinha tempo e disse-lhe: “Deveriam ter aqui a possibilidade de receber a reclamação oralmente, ou por via de uma gravação”. 

O funcionário respondeu-me, com alguma displicência que, atendendo à política de proteção de dados, tal não poderia acontecer. 

Disse-lhe que autorizava a gravação. 

Não era possível, pois nem meios para tal possuía, pelo que depreendi. 

Vim embora!

26 novembro, 2017

Editorial do Boletim n.º 11

É este o editorial do Boletim 11.


1 - O presente número do Boletim mostra bem que a ferrovia está em movimento, como referíamos em editorial anterior. Parece que queremos inverter a tendência negativa que sofremos de há longas décadas. O futuro o dirá.

2 – Decorrem em bom ritmo as obras da eletrificação do troço Nine-Viana do Castelo (conclusão em Julho de 2018) e anuncia-se para muito breve a eletrificação do troço Viana-Valença (conclusão em fins de 2019).

3 – Estão em curso igualmente obras entre Covilhã e Guarda, revitalização da linha do Oeste e eletri- ficação da linha do Algarve.

4 – Problema continua a ser a eletrificação entre Caíde e Marco de Canaveses. Sacrifícios temporários, desde que curtos, para concluir as obras rapidamente são, a nosso ver, perfeitamente aceitáveis. A linha entre Nine e Braga esteve parada anos e hoje tem o movimento de que este Boletim dá conta.

4 – A segurança ferroviária tem sido preocupação constante da Associação e por isso não é de aceitar que haja desleixo na limpeza das faixas de segurança da linha férrea, em termos de vegetação.

5 – A Associação celebrou mais um protocolo, agora com o município de Barcelos e ele servirá, nomeadamente, para acompanhar de bem perto as obras de eletrificação que ali decorrem e para ajudar a levar o Alfa e o Intercidades - quer a Barcelos, quer a Viana do Castelo e posteriormente à Galiza.

6 – Este Boletim n.o 11 dá conta ainda de problemas que urge resolver (alargamento do troço Ermesinde-Contumil e sobrelotação na linha Braga-Porto).